Tel: (77) 3424-3698 | Fax (77) 3422-7858

Veja, na íntegra, o ofício que o SIMMP encaminhou ao governo, na tarde desta quinta-feira, 26, comunicando a aprovação do indicativo de greve.

Os professores da rede municipal de ensino de Vitória da Conquista votaram o indicativo de greve na assembleia desta quarta-feira, 25, ocorrida no Salão Arquidiocesano Dom Climério, conforme programação da Primeira Semana Municipal em Defesa e Promoção da Educação Pública.

A categoria está indignada com o fato de a prefeitura municipal descumprir a Lei nº 1762/2011, do Estatuto do Magistério. Lei que a própria administração instituiu em 30 de junho de 2011. Também, pelos gestores estarem tentando impedir a mobilização da categoria. Estes acionaram o Ministério Público para embarreirar a realização Primeira Semana Municipal, evento proposto pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e que vem debatendo a melhoria da educação.

Para o professor Marivan Pereira, da Escola Municipal Edvanda Maria Teixeira, o movimento dos professores é extremamente necessário. “Nós estamos dispostos a cumprir todo o cronograma proposto pelo sindicato. Isso vai ser enriquecedor para o professor. Acho que o indicativo de greve foi votado em um momento oportuno. Eu, por exemplo, já perdi muitos benefícios e, como comentei na assembleia, o que mais a categoria deverá perder para tomar uma providência?”

A aprovação, ou não, da greve deverá ocorrer na próxima assembleia, agendada para sexta-feira, 04, um dia após a reunião de negociação do SIMMP com o governo, na qual será discutida a jornada de trabalho do magistério municipal. Os docentes requerem o cumprimento integral da Lei do Piso Salarial Nacional, que estabelece 2/3, no máximo, para interação com os alunos e 1/3 para estudos e planejamento.

Após a assembleia, ainda pela manhã, os profissionais da educação se dirigiram para a porta da prefeitura, onde realizaram uma manifestação.

Vereadores votam contra audiência pública

Ainda nesta quarta-feira, no turno vespertino, os educadores participaram de uma discussão acerca do investimento dos 10% do Produto Interno Bruto (PIB) na educação. A proposta era que o debate acontecesse em uma Audiência Pública. No entanto, os vereadores da Bancada de Situação, unanimemente, votaram contra o requerimento feito pelo vereador Arlindo Rebouças, Presidente da Comissão de Educação da Câmara.

“Estou pasma ante a truculência do Governo, ‘nunca antes na historia desse município’ um requerimento de um vereador para uma audiência pública tinha sido rejeitado. Acredito que o Prefeito fez muita pressão para coibir as nossas atividades. Nós já havíamos negociado, anteriormente, com os vereadores Arlindo e Alexandre, pessoas muito comprometidas e que, historicamente, mantiveram uma boa relação comigo. Acredito que a câmara tem boas intenções, mas, vacilaram nessa questão”, destacou a presidente do SIMMP, Geanne Oliveira.

 O sindicato havia convidado a Secretaria Municipal de Educação, os vereadores Alexandre Pereira e Arlindo Rebouças e representantes da Associação dos Docentes Universitários (ADUSB), do LUTE e da UESB para participarem da audiência. O professor Márcio Freudenthal também foi convocado a fazer parte da mesa, representando a base.

Durante o encontro, o vereador Arlindo Rebouças solicitou do SIMMP o envio de uma denúncia sobre o descumprimento da lei pela prefeitura, que deverá ser encaminhada para a Comissão de Educação da Câmara.

Veja as fotos da assembleia.

We cannot display this gallery

Confiram, abaixo, a recomendação encaminhada pelo Ministério Público aos diretores das escolas da Rede Municipal de Ensino, bem como a resposta do SIMMP ao referido órgão.

Recomendação Ministério Público:

 

Resposta do SIMMP:

 

O Sindicato do Magistério Municipal Público (SIMMP) de Vitória da Conquista recebeu, na última sexta-feira, 20, uma notificação do Ministério Público recomendando ao SIMMP que não realize da Primeira Semana Municipal em Defesa e Promoção da Educação.

Conforme afirmação da própria Secretária de Educação, Niltânia Brito – no blog do Fábio Sena – esta foi mais uma medida da Prefeitura para censurar a mobilização dos professores. Isso porque, na última reunião de negociação com o SIMMP, no dia 20/04, os secretários da PMVC já haviam tentado desarticular o evento.

De acordo com a presidente do SIMMP, Geanne Oliveira, a entidade está seguindo a orientação da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), que realiza a 13ª Semana Nacional em Defesa da Educação. Esta assegura que a atividade não causará prejuízo ao calendário letivo, já que o aluno não será dispensado. “A discussão é com a comunidade escolar. Ninguém pode impedir as pessoas de debater um assunto de interesse da coletividade. O que a prefeitura está tentando fazer é ditadura”, declarou a presidente.

O sindicato preparou um vídeo, que já foi encaminhado para as escolas, com a explanação de cada um dos temas, que deverá ser debatido entre professores, pais e alunos. A orientação da entidade é que a discussão ocorra em cada turno, sempre após o intervalo.

O SIMMP, através do advogado Thiago Brito, já encaminhou um ofício ao Ministério Público, apresentando os devidos esclarecimentos.

Veja, abaixo, o documento do Ministério Público e os esclarecimentos do SIMMP na íntegra.

Documento MP:

Documento SIMMP:

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DA BAHIA

11ª PROMOTORIA DE JUSTIÇA DA COMARCA DE VITÓRIA DA CONQUISTA

Dra. Carla Medeiros dos Santos Santoro Nunes (Promotora de Justiça)

Rua Sinhazinha santos, nº 295, Centro,

Vitória da Conquista/BA, CEP: 45.020-150.

RECOMENDAÇÃO nº 004/2012

Ofício nº 276/2012

SINDICATO DO MAGISTÉRIO MUNICIPAL PÚBLICO DE VITÓRIA DA CONQUISTA/BA – SIMMP0, pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ sob o nº 16.418.931/0001-44, com sede na Avenida Presidente Vargas, nº 335, Bairro Alto Maron, Vitória da Conquista/BA, CEP: 45.045-010, por intermédio do seu advogado que esta subscreve, devidamente constituído por meio da procuração que segue anexada a esta, vem, por meio da presente, apresentar RESPOSTA POR ESCRITO À RECOMENDAÇÃO que nos foi encaminhada por este respeitável Órgão Ministerial, ainda que não requisitada, como de praxe, ainda que não precedida da necessária solicitação de esclarecimentos para a análise da sua pertinência, por prudência, o que faz nos seguintes termos:

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE realiza, anualmente, mobilizações de abrangência nacional, visando, sobretudo, o debate sobre o respeito às leis educacionais e sobre as metas e estratégias do Plano Nacional de Educação, com a observância, sempre, dos princípios e objetivos da educação nacional previstos na Constituição da República Federativa do Brasil e almejados pela sociedade.

Neste sábado, dia 21 de abril de 2012, iniciará a 13ª Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública, promovida pela CNTE, cujo tema é A realidade muda com Piso, Carreira e 10% do PIB para a Educação no PNE (Plano Nacional de Educação)”. Mobilização esta que acontecerá em todo o país, de forma que os sindicatos ligados à educação, como é o caso do SIMMP, irão promover atos públicos e discussões sobre o referido tema.

Nesta linha de inteligência é que se enveredam as mobilizações realizadas pelo SIMMP, instituição caracterizada por sua combatente luta pelos direitos e interesses da categoria, sem, contudo, desrespeitar a moral, os costumes e as diversas leis que cuidadosamente regulamentam a educação no nosso país.

E como corolário dos seus direitos e prerrogativas, enquanto instituição autônoma e blindada das interferências do Poder Público nas suas politicas institucionais, a teor do que dispõe o Art. 8º, I, da Constituição da República Federativa do Brasil, fora realizada uma reunião entre os dirigentes do SIMMP e os representantes sindicais das escolas e creches da rede municipal de ensino, na tarde da última quinta-feira, 12/04/2012, os quais referendaram a proposta da direção sindical de realizar a I SEMANA MUNICIPAL EM DEFESA E PROMOÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA.

E pensando justamente no respeito aos princípios normativos previstos na Lei nº 9.394/96 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional), à luz da Lei 8.069/90 (Estatuto da Criança e do Adolescente), sem perder de vista, inclusive, as normas emanadas da Constituição Federal, a programação da referida mobilização, que em nada se assemelha a uma paralisação, foi cuidadosamente formatada para não causar prejuízos ao calendário letivo.

Inclusive, na quarta-feira passada (18/04/2012), a diretoria do SIMMP reuniu-se com o Conselho Municipal de Educação, oportunidade na qual foram externados, minuciosamente, todos os esclarecimentos à respeito da programação da I SEMANA MUNICIPAL EM DEFESA E PROMOÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA, sem qualquer manifestação contrária por parte do Governo Municipal, representado pelos seus prepostos ali presentes, conforme registrado em ata daquele conselho.

A proposta do SIMMP é mobilizar a sociedade educacional conquistense para o debate das temáticas educacionais à luz dos interesses locais, sem prejuízo à observância do calendário normal de aulas, já que nos seus respectivos turnos, os alunos assistirão normalmente às aulas, até o horário de intervalo, sendo que, após este momento, os alunos, pais, professores e sociedade educacional estarão reunidos para a discussão das temáticas propostas para a mobilização. Repita-se, os alunos não serão dispensados.

A referida mobilização apenas difere da que será realizada em âmbito nacional no que tange às discussões das temáticas à luz das necessidades locais experimentadas pela sociedade educacional como um todo, não diferindo, no entanto, quanto ao objetivo de discutir o respeito às leis educacionais e sobre as metas e estratégias do Plano Nacional de Educação à luz dos princípios e normas educacionais previstos na Constituição da República Federativa do Brasil e almejados pela sociedade.

Pondera-se, portanto, a programação da I SEMANA MUNICIPAL EM DEFESA E PROMOÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA em nada se assemelha a uma paralisação, como acreditou o respeitável Órgão Ministerial, pois, não haverá suspensão das aulas, trata-se, como já dito, de uma mobilização a favor da educação, a qual, inclusive, como igualmente dito, não prejudicará o calendário normal das aulas durante a “SEMANA”.

E como a proposta do SIMMP é mobilizar todas as Unidades Escolares e Creches da Rede Municipal de Ensino para o debate das temáticas e, considerando a impossibilidade física de comparecimento da diretoria do sindicato em todas as escolas para o acompanhamento e fomento do debate, a entidade está produzindo um vídeo que será exibido em toda a rede municipal de ensino durante a programação da “SEMANA”.

O referido vídeo está sendo produzido com o objetivo de transmitir ao ouvinte/participante, de forma globalizada e sistematizada, a compreensão histórica das conquistas alcançadas pela sociedade educacional brasileira à luz das diversas temáticas propostas para a “SEMANA”, traçando um paralelo com as demandas atualmente experimentadas pelos alunos, pais, professores, dirigentes escolares e sociedade conquistense como um todo, sem a exibição de qualquer conteúdo apelativo e/ou desrespeitoso.

Por outro lado, necessário esclarecer a este respeitável Órgão Ministerial que, em resposta ao vosso Ofício de nº 125/2012 o SIMMP expediu o Ofício nº 34, informando a PREVISÃO de calendário das assembleias dos professores municipais do ano de 2012, vez que esta instituição não tem condições de prefixar, antecipadamente, e nem teria como, todas as mobilizações da categoria, as quais ocorrem conforme a necessidade imediata.

Desta forma, o SIMMP encaminhou o Ofício nº 64 à Secretaria Municipal de Educação, por meio do qual esta instituição informou, previamente, que os professores da rede municipal de ensino realizarão a I SEMANA MUNICIPAL EM DEFESA E PROMOÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA, mobilização de interesse da coletividade, e, também, dos alunos, como não poderia deixar de ser, cujo programa, extreme de dúvidas, está em consonância com o programa pedagógico anual de ensino.

Neste trilhar o SIMMP entende que é uma prerrogativa e função institucional do sindicato a colaboração com o estado na melhoria da educação pública, buscando, por meio das mobilizações da categoria debater, estudar e encontrar soluções para os problemas que se relacionam com os interesses dos seus representados, alunos, professores, pais, dirigentes escolares e sociedade educacional como um todo.

Ademais, douta representante Ministerial, data maxima venia, quando os atores políticos municipais estão articulados para defender os seus interesses a qualquer custo, a prudência é uma conduta preventiva muito prestigiada e deve ser posta em prática sempre que a situação a exigir, antes de se presumir como verdadeiras nebulosas provocações, sob pena de se proceder a recomendações temerárias.

Por isso é que o SIMMP está convicto de que, caso este respeitável Órgão tivesse requisitado esclarecimentos prévios acerca da programação da “SEMANA”, o que agora é feito voluntariamente por esta entidade, certamente a RECOMENDAÇÃO que nos foi encaminhada não teria sido levada a efeito por estar contaminada de informações desconexas e destoantes da realidade fática ora apresentada.

É, neste sentido, com lastro nas premissas já delineadas, que o SIMMP esclarece os motivos pelos quais entende que não procede a RECOMENDAÇÃO que lhe foi dirigida, colocando-se à disposição deste ilibado Órgão Ministerial para posteriores esclarecimentos, porventura necessários.

Estes são os termos.

Vitória da Conquista, 23 de abril de 2012.

Thiago Brito Teixeira

OAB/BA 28.548

Veja o texto abaixo e entenda o que é uma recomendação do Ministério Público.

A diretoria do SIMMP se reuniu com os representantes do governo na tarde desta quinta-feira, 19, às 15 horas, na Secretaria Municipal de Educação (SMED), para discutir a jornada de trabalho da categoria de professores. Esta é uma das principais reivindicações da campanha salarial de 2012 – baseada na Lei 11.738/08, do Piso Salarial Nacional do Magistério – que, embora a prefeitura tenha afirmado que garantiria, o formato do cumprimento deste direito ainda não está definido.

Como este foi o primeiro encontro do SIMMP com a atual Secretária de Educação, Niltânia Brito – uma vez que Coriolano Moraes se afastou do cargo – não foi possível definir a questão da carga horária. A secretária ainda está se inteirando dos processos para dar continuidade aos trabalhos. De qualquer maneira, a presidente do SIMMP, Geanne Oliveira, sugeriu que seja composta uma comissão para adaptar a rede ao que estabelece a nova lei: 2/3 no máximo para interação com os alunos e 1/3 para estudos e planejamento.

“O modelo da educação pública municipal precisa passar por profundas transformações para garantir uma qualidade de ensino para os filhos dos trabalhadores, possibilitando mudanças significativas no caos social ora estabelecido na nossa cidade”, destacou a presidente.

Na reunião, Niltânia Brito solicitou o acréscimo de mais um ponto de discussão: a Primeira Semana Municipal em Defesa e Promoção da Educação Publica. Inclusive, o secretário de governo, Edvaldo Alves, o Secretário de Administração, Eliabe Gouveia, e o presidente do Conselho Municipal de Educação, Luís Ibiapaba estiveram presentes para se inteirar da ação dos professores.

Geanne Oliveira informou acerca da programação, que está em consonância com a Semana Nacional de Educação, a qual será realizada por todas as escolas do Brasil, com a orientação da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE). Também explicou que as discussões se darão com a participação de toda a comunidade escolar: professores, pais e alunos, nos três turnos, após cada intervalo.

“O formato pedagógico dessa ação garantirá a presença dos educandos nas unidades escolares, durante todo o turno, pois, a intenção é que sejam ministradas aulas públicas de cidadania, direitos e defesa da educação Pública. Não podemos entender que aula se resuma meramente ao quadro de giz e ao professor na sala. É importante o esforço coletivo de toda a sociedade para resgatarmos a educação pública municipal”, explicou.

Geanne Oliveira comunicou ainda que apenas na quarta-feira as aulas serão parcialmente suspensas, já que os professores participarão de uma assembleia, pela manhã, e uma audiência pública, à tarde. Ambas atividades acontecerão no Salão Paroquial Dom Climério (ao lado da Catedral, defronte a Praça Tancredo Neves). A presidente aproveitou a oportunidade e reforçou o convite feito à Secretaria e ao Conselho de Educação para participarem da audiência.

A próxima reunião de negociação ficou agendada para o dia 3 de maio, às 14:30 horas, na SMED.

O Sindicato do Magistério Municipal Público (SIMMP) de Vitória da Conquista convida todos os professores, pais e alunos da rede para participarem da Primeira Semana Municipal em Defesa e Promoção da Educação Pública, que terá início na próxima segunda-feira, 23, e vai até a sexta-feira, 28.

 

 

Todas as escolas deverão reunir, após o intervalo, professores, pais e alunos para discutir os temas propostos para cada dia, coforme programação abaixo. “É importante o esforço coletivo de toda a sociedade para resgatarmos a educação pública municipal”, salientou Geanne Oliveira, presidente do SIMMP.

 

 

O sindicato encaminhará um vídeo com a explanação de cada tema – que tem a duração máxima de 10 minutos cada. A escola deverá apresentar o vídeo, promover a discussão e sugerir proposições acerca do assunto.

 

 

Apenas na quarta-feira as aulas serão parcialmente suspensas, pois, os professores participarão de uma assembleia e uma audiência pública, pela manhã e à tarde, respectivamente.

 

 

I Semana Municipal em Defesa e Promoção da Educação Pública

23/04: Tema para discussão nas escolas (após cada intervalo): Reestruturação da carreira do magistério;

 

24/04: Tema para discussão nas escolas (após cada intervalo): 1/3 da jornada de trabalho para Atividades Complementares;

 

25/04: Manhã – Assembleia, 8:30 horas, no Salão Paroquial Dom Climério (em frente à Praça Tancredo Neves);

Tarde – Audiência Pública, 14:30 horas, no Salão Paroquial Dom Climério, com o tema 10% do PIB para a educação e situação municipal;

 

26/04: Tema para discussão nas escolas (após cada intervalo): Investimento de 30% dos recursos municipais na educação;

 

27/04: Tema para discussão nas escolas (após cada intervalo): Proposta pedagógica adequada.

 

Em reunião com os diretores do SIMMP, na tarde da última quinta-feira, 12, os representantes sindicais das escolas e creches da rede municipal de ensino referendaram a proposta da direção do sindicato de realizar a Primeira Semana Municipal em Defesa e Promoção da Educação Pública.

A programação estará em consonância com a 13ª Semana Nacional em Defesa da Educação, promovida pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), que será realizada entre os dias 21 e 27 de abril. No entanto, na rede municipal de Vitória da Conquista, o evento se difere tanto em relação à data, que será entre os dias 23 e 27, quanto aos temas de discussão, como você pode conferir na programação abaixo.

Segundo a direção do SIMMP, essa é mais uma atividade da campanha salarial, que ainda não terminou. Embora o reajuste já tenha sido votado e aprovado pela Câmara de Vereadores, as discussões continuam, uma vez que existem várias outras questões ainda por serem debatidas. Aliás, a intenção é manter a campanha durante todo o ano.

“Nossa proposta, referendada pelos representantes sindicais, é que comecemos a campanha salarial de 2013, já na discussão do orçamento de 2012. E, para dar continuidade à campanha deste ano, seguiremos com ações sistemáticas de mobilização nas unidades escolares”, afirmou a presidente do SIMMP, Geanne Oliveira.

A comissão de negociação da campanha salarial 2012 foi ampliada, com a representação dos professores José Cláudio da Silva, Lilian Oliveira, Patrícia Lane Chaves e Rosemeire Aragão, os quais enriquecerão a discussão acerca do cumprimento de 1/3 da jornada de trabalho para Atividades Complementares. “Reafirmo a importância desta primeira semana em defesa da educação, por estarmos inovando os mecanismos de mobilização da categoria”, destacou Geanne Oliveira.

É importante destacar que, como a diretoria do sindicato não poderá acompanhar os debates em todas as escolas, a entidade montará um vídeo, com todas as temáticas, que será encaminhado às unidades de ensino. “Oriento que a escola mobilize toda a comunidade escolar, assista ao vídeo do dia, realize debates e acolha sugestões da comunidade escolar acerca do tema”, enfatizou a presidente.

Veja a programação da 1ª Semana Municipal em Defesa e Promoção da Educação Pública:

23/04: Tema para discussão nas escolas (após cada intervalo): Reestruturação da carreira do magistério;

24/04: Tema para discussão nas escolas (após cada intervalo): 1/3 da jornada de trabalho para Atividades Complementares;

25/04: Manhã (8:30 horas): Assembleia / Tarde (14:30 horas): Audiência Pública na Câmara Municipal de Vereadores, com o tema: 10% do PIB para a educação e situação municipal;

26/04: Tema para discussão nas escolas (após cada intervalo): Investimento de 30% dos recursos municipais na educação;

27/04: Tema para discussão nas escolas (após cada intervalo): Proposta pedagógica adequada.

 

“Meu imposto está sendo mal investido pela administração municipal”

Na última quarta-feira, 28, uma mãe de aluno da rede municipal, Patrícia Carvalho, foi à Câmara de Vereadores para falar da sua indignação ao ver a matéria veiculada no Jornal Nacional, no dia 26, cujo teor tratava da iniciativa da Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista (PMVC) de adotar o “uniforme inteligente” nas escolas da rede.  O uniforme possui um chip na etiqueta, que será cadastrado no sistema da escola com dados do estudante e com número do celular dos responsáveis. Um sensor será instalado na escola e confirmará, com precisão, o horário de entrada e a saída do aluno.

 

Embora a notícia tenha ganhado destaque nos meios de comunicação, por tratar do aspecto positivo da tecnologia, a mãe se sentiu extremamente ofendida. “Na verdade, não são todas as escolas que serão contempladas, e isso não é dito. As crianças que não receberem o uniforme com chip, os pais terão que comprar o fardamento convencional. Eu, por exemplo, tive que pagar R$15,00, aliás, R$ 30,00, para obter duas camisas para minha filha”, desabafou Patrícia Carvalho.

 

Ainda de acordo com a mãe, o seu questionamento não se limita ao fato de os fardamentos não atingirem todas as escolas, o grande problema é o governo estar investindo muito dinheiro em algo que não resolve a má qualidade da educação. “As aulas no município começaram no dia 27 de fevereiro, mas, até o dia 27 desse mês ainda não tinha uma grade curricular formada, nem um planejamento pronto; os livros recebidos estão rasurados; para minha filha ter acesso a xérox, eu tenho que pagar; os professores sofrem sem instrumento de trabalho, sem poder desenvolver uma atividade extracurricular, porque não tem ferramentas para tal. Então, como é que pode uma secretaria falar que não tem dinheiro para investir na educação, mas, tem um milhão e duzentos mil para investir em uma propaganda? Porque isso é propaganda”, continua Patrícia Carvalho.

 

Na matéria veiculada pela TV Globo, Cláudio Nunes, pedagogo e especialista em educação fundamental, também afirmou que o controle eletrônico ajuda, mas não resolve o problema da educação: “Educação de qualidade implica qualificação dos professores, estrutura física adequada, instrumentos didático-pedagógicos favoráveis ao processo de ensino-aprendizagem. Há também a contrapartida da própria escola em parceria com a família.”

 

O recurso investido pela Prefeitura atenderá a somente 25 escolas, em uma rede com mais de 226 unidades de ensino (186 rurais e 40 urbanas), com um total de 44.000 alunos. Para Geanne Oliveira, presidente do Sindicato do Magistério Municipal Público (SIMMP), “se esse dinheiro fosse destinado diretamente às escolas beneficiadas como fardamento, para que as gestões administrasse esse recurso, cada uma receberia R$48.000,00. Hoje, a prefeitura repassa menos que 5.000,00 para a manutenção da escola e material didático. Isso é um contrassenso.”

 

Informação distorcida

 

Após o desabafo feito pela mãe de aluno para alguns vereadores, começou a circular nos meios de comunicação a notícia de que a câmara havia recebido uma denúncia de que a prefeitura municipal estaria vendendo as camisas com chip. Inclusive, foi divulgada uma camisa com o nome da Escola Municipal Zulema Cotrim.

 

A matéria gerou grande desconforto entre os profissionais que trabalham na unidade de ensino. “Nós nos sentimos ofendidos, uma vez que não fazemos parte ainda da relação de escolas que será contemplada com a camisa do chip. A farda que está exposta foi discutida com os pais, acordada com eles, contudo, a criança que não tem condição de adquirir a camisa, tem acesso normal à escola”, destacou a vice-diretora Elisete Maria de Jesus.

 

Em entrevista à assessoria de imprensa do Sindicato do Magistério Municipal Público (SIMMP), Patrícia Carvalho afirmou que não fez nenhuma denúncia de que a prefeitura, sobretudo a Escola Zulema Cotrim, estaria vendendo o uniforme inteligente. “Eu não sei quem foi o idiota que inseriu isso na internet e nos meios de comunicação. Eu vejo o empenho da diretora, do vice-diretor e da professora da escola Zulema Cotrim para dar um bom ensino para minha filha, mas, isso não é mérito da administração pública”, enfatizou a mãe. Esta finalizou a entrevista dizendo que foi caluniada por um vereador: “Eu não tive o direito de me defender quando um vereador me acusou, inclusive, de ter falsificado o recibo.”

SIMMP - Sindicato do Magistério Municipal Público de Vitória da Conquista
Endereço: Av. Presidente Vargas, 335 - Alto Maron
CEP 45045-010 Fone: (77) 3424-3698 / 3422-7858