Tel: (77) 3424-3698 | Fax (77) 3422-7858

O Sindicato do Magistério Municipal Público (SIMMP) lamenta o falecimento da professora Edna Maria Amaral Nascimento Souza, 46 anos, ocorrido nesta madrugada, em São Paulo, onde realizava tratamento contra um Câncer.

Edna efetivou-se na rede em março de 1999. Era lotada na Escola Municipal Antônio Machado Ribeiro, Batuque, desde o ano de 2000. No entanto, se afastou das atividades laborais em abril deste ano, quando descobriu a doença.

 O corpo da professora chegará na madrugada desta quarta-feira, 21/11. Assim que for divulgado o local do velório, postaremos no site.

 O SIMMP presta condolências à família e registra últimas homenagens à Edna Maria Amaral.

 “Tudo finda, menos o amor, pois, este sempre viverá”.

 

 

Na última terça-feira, 13 de novembro, a diretoria do Sindicato do Magistério Municipal Público (SIMMP) encaminhou um ofício para a Secretaria Municipal de Educação (SMED) solicitando uma reunião para discutir as demandas da rede. A entidade ainda não obteve resposta, mas, assim que o encontro for agendado, será marcada, posteriormente, uma assembleia com a categoria.

Confira o ofício:

Considerando que a Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista decretou ponto facultativo, o Sindicato do Magistério Municipal Público (SIMMP) não funcionará na próxima sexta-feira, 16 de novembro.

De acordo com nota divulgada pela Secretaria de Comunicação (SECOM), o feriado pelo Dia do Servidor Público coincidiu em 2012 com a data do segundo turno das eleições municipais, por esse motivo a PMVC decretou ponto facultativo nas repartições públicas municipais.

O salário do mês de outubro de 2012 de todos os professores municipais, filiados ao SIMMP, veio com desconto de um por cento (1%). O valor foi votado na assembleia do dia 10 de setembro de 2012, realizada no Instituto Juvêncio Terra (IJT), sendo para custear o tratamento da professora Selenita de Figueiredo e Silva, da Escola Municipal Helena Cristália, que está com câncer da mama e fará o tratamento em Belo Horizonte. Durante a assembleia, a presidente do SIMMP, Geanne Oliveira, falou sobre o ofício que a referida professora encaminhou solicitando ajuda da entidade e o diretor da Helena Cristália, Antônio Gomes Tavares, também reforçou a necessidade de a categoria colaborar com a colega. Portanto, após ampla discussão e apresentação de propostas, os docentes aprovaram a contribuição de um por cento.

 

Tomei conhecimento de que houve uma reunião com representantes de segmentos da igreja católica no dia 20 de setembro com o atual prefeito e candidato a reeleição Guilherme Menezes, isso após haver sido realizado um debate com toda a igreja onde este não se fez presente. Achei estranho, pois sou católico e participo da igreja e não tive nenhuma informação a respeito, já que um desses segmentos era o Conselho de Leigos, neste todos os leigos da igreja são membros e por isso deveria haver uma divulgação maior. Também soube de que o Arcebispo não tinha conhecimento o que me estranhou ainda mais. O questionamento é: Porque uma reunião somente com um candidato a prefeito já que um documento elaborado pela igreja deixa clara a neutralidade da igreja nesses assuntos? O motivo maior desta é para apoiar a professora MARIA APARECIDA SANTOS TORRES que, sabendo desta reunião por um acaso e dela se fazendo presente, questionou a atual situação da educação em nossa cidade principalmente no que se refere à questão da água. A qual foi criticada ao ponto de ser chamada de ‘desequilibrada’. Ora, meus colegas, este problema não se trata tão somente do atual racionamento de água que estamos vivendo e sim, principalmente, por não haver reservatórios suficientes nas escolas. Isso é uma questão de gestão; isso é uma questão de falta de compromisso com a educação. Se a culpa for só da Embasa (como foi citado na reunião), deveremos então fechar até os hospitais. Imagine se essa moda pega? É do conhecimento de todos (professores, pais, alunos e do poder público) de que várias escolas, ‘volta e meia’ estão cancelando aulas por falda d’água. Podem até fazer ‘vistas grossas’ mas é uma realidade, é uma VERDADE. Desequilibrado (a) seria quem, diante desse fato, se calasse. E ‘Cida’ não se calou, teve coragem de se expor, de lutar de verdade por uma melhor educação. O que deveria fazer todos os professores (as) de nossa rede. Não acredito que isso seja uma indignação só da professora Cida, mas com certeza é minha e de tantos outros. Quem, sendo professor (a), pai, mãe ou aluno não fica indignado quando nas propagandas políticas alguns tecem enormes elogios à nossa educação quando, na verdade, os meios de comunicação em geral apresentam dados completamente contrários. As piores colocações nacionais. Eu não quero estes índices para a minha cidade e tenho certeza de que você também não. Faço um apelo: “NÃO VAMOS DEIXAR NOSSA COLEGA SÓ, NESTE LUTA QUE É DE TODOS NÓS”.

Sou Adilson Santos Pinheiro, professor há quatro anos na rede municipal. Membro da igreja Católica há vinte anos. Estarei apoiando minha colega ‘Cida’ por saber de sua responsabilidade e compromisso cristão e com as questões educacionais. Sempre foi comprometida com a causa dos menos favorecidos, imbuída pelo desejo verdadeiro de transformação social e baseada na palavra de Deus.

“…Se os profetas se calarem, as pedras falarão…”

O vice-prefeito de Vitória da Conquista, Ricardo Marques, publicou em sua página do facebook um comentário desmentindo o Sindicato do Magistério Municipal Público (SIMMP) e tentando denegri-lo, na tentativa de defender o candidato do PT, Guilherme Menezes, que agrediu verbalmente a professora municipal Maria Aparecida Torres, conforme notícia publicada no site da entidade (veja).

 O SIMMP repudia a reação do vice-prefeito – e um dos coordenadores da chapa petista – que, propositadamente, associou a atitude de defesa da entidade em prol de um filiado a uma ação partidária, além de macular a imagem da presidente sindical, Geanne Oliveira, pessoa íntegra e que sempre primou pela verdade em suas ações.

 “A democracia pressupõe respeito ao contraditório e alternância de poder. Eles estão tão acostumados a mentir que perderam o limite”, enfatizou a presidente.

 O sindicato reafirma que tomará as medidas legais cabíveis para defender os direitos da professora e não se intimidará com as calúnias e ações de repressão do governo.

 Confira o comentário do vice-prefeito, Ricardo Marques:

“Segundo a professora Geanne Oliveira, presidente do Sindicato do Magistério Municipal Público de Vitória da Conquista (SIMMP), vice-presidente do PMDB e uma das apoiadoras da coligação “Conquista quer mudar”, que tem o radialista Herzem Gusmão como candidato à Prefeitura Municipal, o prefeito Guilherme Menezes, postulante à reeleição do seu quarto mandato e o quinto do Partido dos Trabalhadores, teria promovido um ato de violência verbal contra uma professora. De acordo com a seguidora do peemedebista, o petista teria xingado uma de suas colegas de “desequilibrada” após uma indagação.

A denúncia que foi distribuída por nota à imprensa foi alvo de críticas por parte do vice-prefeito Ricardo Marques, um dos coordenadores da chapa guilhermista, que comentou o assunto em seu mural do Facebook disparando críticas ao comunicador Herzem Gusmão. “Sobre essa nota da professora agredida, alguém ainda acredita num Blog mantido pelo candidato da oposição e num sindicato que é presidido pela coordenadora da campanha dele? Estive no evento citado e sei o que aconteceu. E quem conhece Guilherme, sabe muito bem da sua postura. Não é agora, quinze anos depois e na véspera de um pleito eleitoral que ele vai se tornar um agressor. Nem combina com a postura estadista de nosso prefeito”, escreveu Marques”.

 Agora vejam a resposta da professora, Maria Aparecida Torres:

“Ricardo Marques, realmente você estava lá e sabe muito bem que quando o senhor prefeito falava, quando justifiquei o porquê da minha presença aquele pleito (saímos da escola mas cedo,pois não havia água e não tinha como fazer merenda), ele chamou-me de “desequilibrada”, por que minha fala soou para ele uma crítica, foi quando a secretaria de educação explicou-me “professora quem manda água para a sua escola é a EMBASA”. O que sei Senhor Ricardo é que ao justificar o motivo da minha presença aquela reunião, instauraram uma sindicância, criaram uma comissão, pois a senhora secretária Niltânia Brito colocou que eu disse que havia 30 dias sem água e sem merenda na unidade escolar (tenho o relatório da escola referente a fala dela). Procurei o SIMMP, entidade que me representa para ficar informada de tudo que me aconteceu nesses dias, a Arquidiocese na figura do arcebispo não era conhecedor da referida reunião, pessoas que me conhecem e que também estavam lá presentes ficaram indignadas com os fatos e as calúnias proferidas pela secretária de educação. Enfim, senhor Ricardo Marques,para vocês hoje tudo é normal. O que não é aceitável é pensar diferente. Quanto a Geanne a sua interferência é como presidente de uma entidade, assim como você é representante de uma igreja e estava em um espaço de reunião fechada com um único candidato sem o aval do arcebispo”.

Os professores da rede municipal de ensino de Vitória da Conquista lotaram o auditório do Instituto Educacional Juvêncio Terra, na tarde desta segunda-feira, 10, para assistir ao debate dos candidatos a prefeito de Vitória da Conquista. Quatro, dos cinco prefeituráveis, convidados pelo Sindicato do Magistério Municipal Público (SIMMP), participaram do evento: Herzem Gusmão (PMDB), Abel Rebouças (PDT), Edigar Mão Branca (PV) e Elquisson Soares (PPS). Apenas o postulante do PT, Guilherme Menezes, não compareceu e, sequer, justificou sua ausência.

O debate começou às 15:30 horas, com a apresentação dos candidatos. Na sequência, o SIMMP deu início às rodadas de perguntas, que incluíam investimento dos recursos do município em educação; Lei do Piso Nacional do Magistério; formação continuada e propostas pedagógicas. O evento consistia em dois blocos de interrogações, um bloco para apresentação e assinatura da carta compromisso e as considerações finais, no entanto, após responder o primeiro questionamento, o candidato do PV pediu licença para se retirar do local em função de outros compromissos.

Os candidatos do PMDB, PDT E PPS permaneceram até o final e responderam a todas as perguntas, afirmando que farão o máximo possível para melhorar os indicadores educacionais da cidade que, segundo o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), está entre os dez municípios brasileiros com os piores desempenhos.

No quesito carta compromisso, apenas os candidatos Herzem Gusmão e Abel Rebouças assinaram e entregaram a carta aos dirigentes sindicais, demonstrando comprometimento com a educação.

No documento entregue pelo candidato do PMDB, este apresenta 26 metas para serem efetivadas até 2016, como você pode conferir abaixo. “Acredito firmemente que a rede municipal de ensino conta com profissionais qualificados e que, se bem remunerados, respeitados, capacitados e estimulados farão, junto conosco, o resgate da educação pública municipal”, destacou Herzem Gusmão.

O candidato do PDT também lança em sua carta (também exposta abaixo) as prioridades para seu governo, caso seja eleito. “A coligação ‘A Conquista que Você Merece’ se compromete em empreender esforços necessários para a superação dos problemas que existem atualmente no município e implementar novas políticas para a valorização dos professores e servidores da rede municipal de educação”, afirmou Abel Rebouças.

Para os professores, a discussão foi bastante útil e elucidativa. “Todo debate tem a função de esclarecer e fortalecer as opiniões que nós temos. Então, nós pudemos perceber quais candidatos valorizam a educação e a consideram prioridade. Particularmente, este esclareceu e permitiu fortalecer meu voto e minha opinião sobre o que é melhor para minha cidade”, avaliou Ricardo Brasil, professor da Escola Municipal Paulo Setúbal.

Carta Compromisso Herzem Gusmão – Coligação Conquista Quer Mudar

Carta Compromisso Abel Rebouças – Coligação A Conquista que Você Merece

Galeria

We cannot display this gallery

Na próxima segunda-feira, 10, o Sindicato do Magistério Municipal Público (SIMMP) de Vitória da Conquista realizará uma assembleia ordinária com a categoria de professores, na qual será aberto um espaço para que os candidatos ao cargo de prefeito da cidade possam apresentar as suas propostas para a educação. O debate acontecerá no auditório do Instituto Educacional Juvêncio Terra, às 14:30 horas.

“O SIMMP é uma instituição independente de qualquer tendência partidária, mas, que se preocupa com as questões sociais, econômicas e políticas da sociedade. Dessa forma, por ser a eleição um momento ímpar – visto que envolve os interesses de toda a coletividade – tomamos a iniciativa de realizar essa discussão, para que os candidatos definam suas posições e argumentos no quesito educação”, explicou a presidente do SIMMP, Geanne Oliveira.

Além de apresentar as propostas, os concorrentes ainda assinarão uma carta compromisso do seu eventual governo com a educação municipal. “Entendemos que a apresentação por escrito e a assinatura desta carta facilitará, futuramente, o processo de negociação entre categoria e governo”, ressaltou a presidente.

No debate, os postulantes serão questionados acerca dos seguintes eixos temáticos:

– Investimento dos recursos do município em educação;

– Lei 11.738/08, do Piso Salarial do Magistério;

– Formação Continuada;

– Propostas Pedagógicas.

O SIMMP informa que só terá acesso ao local do debate professores da rede municipal, além dos assessores políticos, previamente identificados.

 

No dia da mobilização nacional em defesa da educação, ocorrida nesta quarta-feira, 05, professores da Rede Municipal de Ensino de Vitória da Conquista se reuniram para discutir o Plano Nacional de Educação (PNE), uma das principais bandeiras de luta da categoria. O evento aconteceu na Câmara Municipal de Vereadores, às 14:30 horas, tendo como debatedores o professor da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) – Doutor em Educação Brasileira – Reginaldo de  Sousa; o presidente da Associação dos Docentes Universitários do Sudoeste da Bahia (ADUSB), Alexandre Galvão; e o presidente do LUTE Sindicato, Enoke Matos.

Para que ainda não conhece, o PNE é um documento criado pelo Ministério de Educação e Cultura (MEC), que traça as metas e diretrizes para a educação brasileira. O projeto de lei que cria o Plano para vigorar entre 2011 e 2020 foi enviado ao Congresso em 15 de dezembro de 2010, mas, atualmente enfrenta recurso jurídico. No entanto, a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) defende o cumprimento do acordo e a votação direta no Senado Federal.

 O PNE é um dos cinco pontos motivadores da paralisação nacional da educação, além do piso salarial, a carreira profissional, a jornada de trabalho e o financiamento da educação. Inclusive, este último tema foi abordado por Alexandre Galvão, no debate promovido pelo Sindicato do Magistério Municipal Público (SIMMP). “Nossa defesa é a destinação de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) para investimento direto na educação. Apesar de termos sido derrotados nos dois últimos momentos de discussão do PNE, creio que estamos conseguindo suscitar uma discussão em todo o território nacional sobre o tema”, destacou.

O professor Dr. Reginaldo de Souza apresentou informações técnicas sobre o Plano, destacando os problemas da educação: “Vitória da Conquista está entre os 70 maiores municípios do Brasil, com mais de cem mil habitantes, no entanto, encontra-se em sétimo lugar em termos de falta de qualidade. E a Bahia está entre os três piores estados, na educação, do Brasil”.

Já Enoke Matos finalizou a discussão da mesa afirmando que não vê perspectivas quanto à execussão do Plano, a não ser que os docentes municipais, estaduais e federais se unam numa luta conjunta. “Seremos valorizados? Não acredito. Teremos um PNE válido? Não acredito. Nós precisamos unir forças para fazer o enfrentamento. Temos que unificar a luta no que é possível unificar e ser solidários no que temos dificuldade de fazer a unificação”.

Para Geanne Oliveira, presidente do SIMMP, o evento foi bastante enriquecedor: “Nós realizamos este debate para instruir a categoria e qualificá-la para as discussões. Então, do ponto de vista do conhecimento, graças a maravilhosa explanação dos nossos convidados, o nosso objetivo foi atingido”.

Galeria

We cannot display this gallery

SIMMP - Sindicato do Magistério Municipal Público de Vitória da Conquista
Endereço: Av. Presidente Vargas, 335 - Alto Maron
CEP 45045-010 Fone: (77) 3424-3698 / 3422-7858